Revisões literárias: a aplicação criativa de romances velhos (sécs. XV-XVII)

Imprimir

Engaste

Edição diplomática do engaste

Pregonadas ſon las guerras de Francia contra Aragone

Edição moderna do engaste

Pregonadas son las guerras de Francia contra Aragone

Edição diplomática do contexto do engaste

Roc. Poys muyto ſabera quẽ lhe tirar da cabeça, que he aſumma da corteſania, & diſcrição, & ea he ella a paruoice refinada, grande confiança, & pouca poe: ſaõ gentis partes para medrar para alfeloeiro. Din. Pregonadas ſon las guerras de Francia contra Aragone. Roc. O que elle tem para ſeu remedio, gentil vòz. Car. Tal ſeja ſua vida, & a minha, poys o demo aſsi o quiz. Din. Como las haria triſte, viejo cano, y pecador: ah pezar de Mafoma. Car. Quebroulhe a prima, inde bem.

Fac-símile
Edição moderna do contexto do engaste

Rocha   Pois muito saberá quem lhe tirar da cabeça que é a suma da cortesania e discrição, e essa é ela, a parvoíce refinada: grande confiança e pouca posse são gentis partes para medrar para alfeloeiro. | Dinardo   Pregonadas son las guerras de Francia contra Aragone. | Rocha   O que ele tem para seu remédio, gentil voz. | Cardoso   Tal seja sua vida e a minha pois o demo assi o quis. | Dinardo   Como las haría triste, viejo, cano y pecador... Ah, pesar de Mafoma. | Cardoso   Quebrou-lhe a prima, inde bem.

Referência da identificação do engaste

Vasconcelos, Carolina Michaëlis de, “Estudos sobre o Romanceiro peninsular. Romances velhos em Portugal”, Cultura española, X, 1908, pp. 469-470.

Fac-símile 
Idioma do engaste
  • Espanhol
Notas ao engaste

O excerto da Comédia Aulegrafia transcrito por Carolina Michaëlis de Vasconcelos nas páginas da Cultura Española difere do texto da primeira impressão conhecida da obra de Jorge Ferreira de Vasconcelos, de 1619, e da edição elaborada no Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras de Lisboa, sob a coordenação de José Camões, que considera também a lição do manuscrito II/1519 da Real Biblioteca de Palacio, Madrid.

A citação da Aulegrafia apresentada coincide, pelo contrário, com as fontes indicadas pela filóloga em nota de rodapé, ou seja, Almeida Garrett no volume III do seu Romanceiro (1851, p. 73), Ferdinand Wolf em Proben portugiesischer und catalanischer volksromanzen (1856, p. 99, nota 1) e Teófilo Braga nas páginas da Historia da Poesia Popular Portugueza (1867, p. 27).

 

Autoria

Autor do engaste
Jorge Ferreira de Vasconcelos
Tipo de assinatura do autor
  • Identificada
Ano de nascimento do autor
1515
Ano de falecimento do autor
1585
Século de atividade do autor
  • XVI
Notas sobre o autor

Composição ou secção quadro

Título da composição ou secção quadro

Comedia Avlegrafia

Incipit  da composição ou secção quadro

[Grasydel] Ora se he possiuel acabar hũa molher consigo tanto

Género literário da composição ou secção quadro
Dramático
Idioma da composição ou secção quadro
  • Português
  • Espanhol
Referência da edição moderna

Vasconcelos, Jorge Ferreira de, Comédia Aulegrafia, Centro de Estudos de Teatro, Teatro de Autores Portugueses do Séc. XVI, www.cet-e-quinhentos.com [30/10/2018].

Reelaboração discursiva do verso de origem do engaste
Reelaboração semântica do verso de origem do engaste
Paródica

Obra

Referência da obra

Comedia Avlegrafia: Feita por Iorge Ferreira de Vasconcellos. Agora novamente impressa à custa de Dom Antonio de Noronha. Dirigida ao Marquez de Alemquer, Duque de Francauilla, do Conselho do Estado de sua Magestade, Visorrey, & Capitão General destes Reynos de Portugal. Com todas as licenças necessarias. Em Lisboa. Por Pedro Craesbeeck. Anno 1619, fol. 84r-84v.

Género literário da obra
  • Dramático
Idioma da obra
  • Português
  • Espanhol
Notas à obra

Esta obra encontra-se disponível na coleção digital da Biblioteca Nacional de Portugal, http://purl.pt/356 [30/10/2018].

Proveniência textual do engaste

Título e IGR do romance
0231 - Doncella guerrera

Tradição Antiga

Verso do romance de proveniência
Incipit do romance de proveniência
Testemunhos antigos do romance
Posição do verso no romance
Tradição Moderna
Presença do romance na tradição moderna portuguesa
Sim
Presença do romance nas restantes tradições modernas pan-hispânicas
Sim
Notas sobre a tradição moderna