Revisões literárias: a aplicação criativa de romances velhos (sécs. XV-XVII)

Imprimir

Engaste

Edição diplomática do engaste

por hũs certos canos de Carmona

Edição moderna do engaste

por uns certos canos de Carmona

Edição diplomática do contexto do engaste

Fil. Poys enforquemſe em bõ dia claro. Quando noutro dia viemos em pratica ambos ſobre voo amigo Germinio Soares, me dieſtes, que vos viera às orelhas ea ſoſpeita. Aul. Poys ſi, mas agora mo certificarão que não hauia duuida, quẽ o tem ſabido por hũs certos canos de Carmona.

Fac-símile
Edição moderna do contexto do engaste

Filomela   Pois enforquem-se em bom dia claro. Quando noutro dia viemos em prática ambos sobre vosso amigo Germínio Soares me dissestes que vos viera às orelhas essa sospeita. Aulegrafia   Pois si, mas agora mo certificaram, que não havia dúvida, quem o tem sabido por uns certos canos de Carmona.

Referência da identificação do engaste

Vasconcelos, Carolina Michaëlis de, “Estudos sobre o Romanceiro peninsular. Romances velhos em Portugal”, Cultura española, X, 1908, pp. 507-508.

Fac-símile 
Idioma do engaste
  • Português
Notas ao engaste

Autoria

Autor do engaste
Jorge Ferreira de Vasconcelos
Tipo de assinatura do autor
  • Identificada
Ano de nascimento do autor
1515
Ano de falecimento do autor
1585
Século de atividade do autor
  • XVI
Notas sobre o autor

Composição ou secção quadro

Título da composição ou secção quadro

Comedia Avlegrafia

Incipit  da composição ou secção quadro

[Grasydel] Ora se he possiuel acabar hũa molher consigo tanto

Género literário da composição ou secção quadro
Dramático
Idioma da composição ou secção quadro
  • Português
  • Espanhol
Referência da edição moderna

Vasconcelos, Jorge Ferreira de, Comédia Aulegrafia, Centro de Estudos de Teatro, Teatro de Autores Portugueses do Séc. XVI, www.cet-e-quinhentos.com [08/08/2019].

Reelaboração discursiva do verso de origem do engaste
Sim
Reelaboração semântica do verso de origem do engaste
Paródica

Obra

Referência da obra

Comedia Avlegrafia: Feita por Iorge Ferreira de Vasconcellos. Agora novamente impressa à custa de Dom Antonio de Noronha. Dirigida ao Marquez de Alemquer, Duque de Francauilla, do Conselho do Estado de sua Magestade, Visorrey, & Capitão General destes Reynos de Portugal. Com todas as licenças necessarias. Em Lisboa. Por Pedro Craesbeeck. Anno 1619, fol. 31r.

Género literário da obra
  • Dramático
Idioma da obra
  • Português
  • Espanhol
Notas à obra

Esta obra encontra-se disponível na coleção digital da Biblioteca Nacional de Portugal, http://purl.pt/356 [08/08/2019].

Proveniência textual do engaste

Título e IGR do romance
0109  - Valdovinos suspira

Tradição Antiga

Verso do romance de proveniência

Por los caños đ carmona | por do el agua va a Seuilla

Incipit do romance de proveniência

Por los caños đ carmona | por do el agua va a Seuilla

Testemunhos antigos do romance

Folheto de cordel

Siguense siete romances sacados de las historias antiguas de España. El primero dize. Por los campos de Xerez. El segundo dize. Don Garcia de Padilla. El tercero. Passado se hauia allẽde. El quarto En las almenas đ Toro. El quinto. En fuerte punto salieron. El sexto. A caça va don Rodrigo. El septimo es de Valdouinos (Antonio Rodríguez-Moñino, Nuevo Diccionario bibliográfico de pliegos sueltos poéticos (siglo XVI), edición corregida y actualizada por Arthur L.-F. Askins y Víctor Infantes, Madrid, Editorial Castalia, 1997, n.º 1071).

Manuscrito

Ms. 1317, Biblioteca Nacional de España, Madrid, fol. 442r (Biblioteca Digital Hispánica, http://bdh-rd.bne.es/viewer.vm?id=0000038169&page=1, consultado, pela última vez, a 10/09/2019).

Posição do verso no romance
  • Incipit
Tradição Moderna
Presença do romance na tradição moderna portuguesa
Não
Presença do romance nas restantes tradições modernas pan-hispânicas
Não
Notas sobre a tradição moderna