Edição diplomática do engaste

Corresponde à transcrição diplomática do enunciado de acordo com a edição da obra na qual o engaste romancístico figura pela primeira vez, caso disponhamos de uma impressão coeva à vida do autor. De contrário, transcreve-se o enunciado a partir da primeira edição crítica de referência. Não existindo, utiliza-se o primeiro documento impresso conhecido.

Edição moderna do engaste

Corresponde à transcrição do enunciado de acordo com a edição de referência da obra (e.g., edição crítica).

Edição diplomática do contexto do engaste

A transcrição respeita os critérios enunciados no campo “Edição diplomática do engaste”.

Fac-símile

Oferece-se a reprodução digital do(s) fólio(s) ou página(s) em que consta o enunciado transcrito no campo anterior. 

Edição moderna do contexto do engaste

A transcrição respeita os critérios enunciados no campo “Edição moderna do engaste”.

Referência da identificação do engaste

Oferece-se a referência bibliográfica do primeiro catálogo de engastes ("Romances Velhos em Portugal", Cultura Española, 1907-1909) e a dos contributos posteriores para a descoberta e identificação de novos intertextos.

Título da composição ou secção quadro

Entende-se por composição quadro uma peça de teatro, um poema ou uma carta; por secção quadro, um capítulo de, por exemplo, uma obra historiográfica. Transcreve-se o título a partir do impresso adotado em "Edição diplomática do contexto do engaste".

Incipit da composição ou secção quadro

Considera-se como incipit o primeiro verso no caso das composições poéticas e a primeira oração no dos textos em prosa. Transcreve-se o incipit a partir do impresso adotado em "Edição diplomática do contexto do engaste".

Referência da edição moderna

Corresponde à referência bibliográfica do impresso utilizado para a transcrição do enunciado em "Edição moderna do engaste" e "Edição moderna do contexto do engaste".

Referência da obra

Corresponde à transcrição dos dados constantes no frontispício da edição da obra adotada em "Edição diplomática do contexto do engaste", seguida dos fólio(s) ou página(s) da interpolação.

Romance(s) de origem

Este grupo e os respetivos campos surgem replicados quando o verso de procedência do engaste é partilhado por vários romances.

Título e IGR do romance

Indicam-se segundo o Índice general del romancero (IGR), proposto pelo Seminario Menéndez Pidal para a identificação universal de cada tema romancístico.

Verso do romance de origem

Considerando-se o verso longo, transcreve-se a fórmula de procedência do engaste a partir do livro de romances mais antigo de entre as fontes já consultadas, bem como as variantes textuais do verso (lexicais, semânticas, sintáticas) constantes nos documentos impressos ou manuscritos já compulsados (ver "Notas ao romance"), indicando-se as respetivas referências entre parêntesis através de siglas desenvolvidas no campo “Testemunhos antigos do romance”.

Incipit do romance de origem

Considerando-se o verso longo, transcreve-se a fórmula a partir do livro de romances mais antigo de entre as fontes já consultadas, bem como as variantes textuais do verso (lexicais, semânticas, sintáticas) constantes nos documentos impressos ou manuscritos já compulsados (ver "Notas ao romance"), indicando-se as respetivas referências entre parêntesis através de siglas desenvolvidas no campo “Testemunhos antigos do romance”.

Testemunhos antigos do romance

Indicam-se as referências dos testemunhos antigos do romance a partir do Manual bibliográfico de Cancioneros y Romanceros (Rodríguez-Moñino, 1973 e 1977), do Nuevo Diccionario bibliográfico de pliegos sueltos poéticos (Rodríguez-Moñino, 1997) e do respetivo Suplemento (Askins-Infantes, 2014), bem como das coleções de manuscritos e livros de música. As siglas que precedem algumas referências bibliográficas reportam-se às variantes textuais transcritas em "Verso do romance de proveniência" e "Incipit do romance de proveniência".

Posição do verso no romance

Como posição incipit considera-se a dos dois primeiros versos longos e explicit a dos dois últimos.

Fortuna editorial na tradição moderna portuguesa

Oferece-se a hiperligação às versões do romance reunidas no Arquivo do Romanceiro Português de Tradição Oral Moderna.

Fortuna editorial nas restantes tradições modernas

Oferece-se a hiperligação ao Pan-Hispanic Ballad Project.