O projeto Revisões literárias: a aplicação criativa de romances velhos (sécs. XV-XVII) teve início em 2018 com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian e posteriormente com o da Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Consiste num programa de re-identificação das fontes dos intertextos romancísticos presentes em composições de autores portugueses, assim como de exame crítico destes engastes no seu novo contexto literário. Inicialmente, concentrou-se nos engastes elencados por Carolina Michaëlis de Vasconcelos, mais recentemente dedica-se aos que a filóloga não pode identificar, alguns dos quais detetados por estudiosos ulteriores. O projeto visa portanto potenciar a releitura das obras mencionadas e, nessa medida, reequacionar as conexões entre literatura canónica e literatura tradicional. Simultaneamente, contribui de forma decisiva para o conhecimento do romanceiro antigo em Portugal. 

 

 

  A equipa