Engaste

ojos que lo vieron ir | no lo veran mas en Francia

E n'essa breve distancia, | antes de o gato o sentir, | ojos que lo vieron ir | no lo veran mas en Francia; | mas nem por isso jactancia | nenhum rato póde ter; | porque póde acontecer | andar, correr e saltar, | e depois de andar andar | póde á Beira vir morrer. 

  • Espanhol

Vasconcelos, Carolina Michaëlis de, “Estudos sobre o Romanceiro peninsular. Romances velhos em Portugal”, Cultura española, IX, 1908, p. 121bis.

Autoria
António Serrão de Crasto
  • Identificada
1610
1684
  • XVII
Composição ou secção quadro

Os ratos da inquisição

Esta casa, em seus contractos

Lírico
  • Português
  • Espanhol
Sim
  • Paródica
Obra

Os ratos da inquisição, poema inedito do judeu portuguez António Serrão de Crasto, prefaciado por Camillo Castello Branco, Porto, Ernesto Chardron, 1883, p. 192.

  • Lírico
  • Português
  • Espanhol

O manuscrito desta obra encontra-se na coleção digital da Biblioteca Nacional de Portugal, sob a cota COD. 13408.

Romance(s) de origem

Este grupo e os respetivos campos surgem replicados quando o verso de procedência do engaste é partilhado por vários romances.