Engaste

Todos dizẽ amen, amen, ſino Don Sancho que calla.

Todos dizen amen, amen, sino don Sancho que calla.

A iſto acudio Solino. Todos dizẽ amen, amen, ſino Don Sancho que calla.

A isto acudiu Solino: | — Todos dizen amen, amen, sino don Sancho que calla.

  • Espanhol

Vasconcelos, Carolina Michaëlis de, “Estudos sobre o Romanceiro peninsular. Romances velhos em Portugal”, Cultura española, VIII, 1907, p. 1029.

Autoria
Francisco Rodrigues Lobo
  • Identificada
1573?
1621
  • XVII
Composição ou secção quadro

Dialogo XVI. Da criação das escolas.

Estaua tão desejoso, & aluoroçado Pindaro

Diálogo
  • Português
  • Espanhol

Lobo, Francisco Rodrigues, Corte na Aldeia, introdução, notas e fixação do texto de José Adriano de Carvalho, Lisboa, Editorial Presença, 1992, p. 290.

Não
  • Paródica
Obra

Corte na aldea, e noites de inverno. De Francisco Rodrigvez Lobo Offerecido ao Senhor Dom Dvarte Marques de Frechilha,  & de Malagaõ. Em Lisboa, por Pedro Crasbeeck, Anno 1619, fol. 158r.

  • Diálogo
  • Português
  • Espanhol
Romance(s) de origem

Este grupo e os respetivos campos surgem replicados quando o verso de procedência do engaste é partilhado por vários romances.