Engaste

Eſtanꝺo muy ꝺe vaguar | bem foꝛa ꝺe tal cuiꝺar | em coymbꝛa ꝺa ſeſeguo | polos campos ꝺe monꝺeguo | caualeyros vy  ſomar.

Estando mui de vagar, | bem fora de tal cuidar, | em Coimbra d' assessego, | polos campos de Mondego | cavaleiros vi somar.

Eſtaua muy acataꝺa | como pꝛinçeſa ſeruiꝺa | em me⁹ paços muy honrraꝺa | ꝺe tuꝺo muy abaſtaꝺa | ꝺe meu ſenhoꝛ muy queriꝺa. | Eſtanꝺo muy ꝺe vaguar | bem foꝛa ꝺe tal cuiꝺar | em coymbꝛa ꝺa ſeſeguo | polos campos ꝺe monꝺeguo | caualeyros vy  ſomar.

Estava mui acatada | como princesa servida, | em meos paços mui honrada, | de tudo mui abastada, | de meu senhor mui querida. | Estando mui de vagar, | bem fora de tal cuidar, | em Coimbra d' assessego, | polos campos de Mondego | cavaleiros vi somar.

  • Português

Vasconcelos, Carolina Michaëlis de, “Estudos sobre o Romanceiro peninsular. Romances velhos em Portugal”, Cultura española, VIII, 1907, p. 1051.

Autoria
Garcia de Resende
  • Identificada
Desconhecido
Desconhecido
Composição ou secção quadro

Trouas  garçia de rresende fez a morte de dõa ynes de castro que el rrey dõ Afonso o quarto de portugual matou, ẽ coimbra por o prinçipe dom Pedro seu filho a ter como mulher e polo bem  lhe queria nem queria casar, endereçadas has damas.

Senhoras salgum senhor

Lírico
  • Português

Cancioneiro Geral de Garcia de Resende, fixação do texto e estudo por Aida Fernanda Dias, vol. IV, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1993, p. 303.

Sim
Obra

Cancioneiro geral. Cum preuilegio, fol. CCXXIr.

  • Lírico
  • Português
  • Espanhol

1. As informações sobre o editor e a impressão deste volume surgem no respetivo cólofon: "Foy ordenado ꞇ emendado por Garçia de Reesende fidalguo da casa del Rey nosso senhor ꞇ escriuam da fazenda do prinçipe. Começou se em almeyrym ꞇ acabou se na muyto nobre ꞇ sempre leall çidade de Lixboa. Per Hermã de cãpos alemã bõbardeyro del rey nosso senhor ꞇ empremjdor. Aos xxviij. dias de setẽbro da era de nosso senhor Iesu cristo de mil ꞇ quynhent⁹ ꞇ xvi anos".

2. Esta obra encontra-se disponível na coleção digital da Biblioteca Nacional de Portugal, http://purl.pt/31247/2/ [06/04/2021].

Romance(s) de origem

Este grupo e os respetivos campos surgem replicados quando o verso de procedência do engaste é partilhado por vários romances.

N/A- Yo m'estando en Coimbra

Yo m’estando en Coimbra | a prazer y a bel folgar | por los campos de Mondego | cavalleros vi asomar

Yo m’estando en Coimbra | a prazer y a bel folgar

Manuscrito

Cancionero musical de Paris, École Nationale Supérieure de Beaux-Arts de Paris, ms. Masson 56, fol. 84v (Eugenio Asensio, Cancionero musical luso-español del siglo XVI antiguo e inédito, Universidad de Salamanca, Salamanca, 1989, p. 39).

  • Incipit
Não
Não